Essa figura evolui de forma rápida e/ou vigorosa para a acentuação das alterações ou, mais raramente, as intensifica de modo extremo em curto período de tempo. O desconforto, as frustrações, os impedimentos dão margem a reações exageradas e desproporcionais.

O que mais caracteriza o lado emocional deste tipo é a revolta, o desespero, a inconformidade e vitimização. Em relação a alguém ou a determinado fato, não se experimenta o refrigério do perdão, tampouco o bálsamo do consolo. Nunca chegam ao paraíso de afirmar que poderia ser pior… A exasperação é a tônica dominante.

As queixas e cobranças atingem a feição de acusações ásperas, contundentes, cruéis, extinguindo qualquer possibilidade de diálogo ou entendimento. Condena o outro no estilo peremptório e drástico. Analogamente, o sentimento de culpa viceja em larga escala, embutido ou aflorado, pois mais cedo ou mais tarde o açoite incriminativo volta-se contra si mesmo e faz estragos imensos. As oportunidades degeneraram em clamorosas perdas, suscitando rancor profundo em relações que prenunciavam afeto e compromisso, bem como ódio, pirraça ou indignidade perante o fracasso nos tentames em que se vislumbrava crescimento e êxito profissional.

As lesões orgânicas e/ou transtornos mentais irrompem-se portando notórias complicações desde o começo: a apendicite manifesta-se já com sinais de peritonite; o pós-operatório cursa com infecção hospitalar; o traumatismo crânio-encefálico decorre de fratura exposta do crânio. Enfim, a patologia não aparece em sua alternativa simples, mas obrigatoriamente no formato complicado. E, nesse caso, a tendência para a concretização das sequelas é quase incontornável, e escasso o tempo para que o organismo altere o próprio rumo. Além do mais, as condições psicológicas para eventual renovação também se mostram muito contrárias.

Quando as deficiências oriundas das complicações se estabilizam, o sujeito frequentemente persiste ou intensifica a sua revolta e apenas em ocasiões excepcionais ele se curva ao destino e aceita a conclusão do processo. Mas, em geral, já se ultrapassou o tempo em que isso conduziria a um prognóstico mais auspicioso, embora tal mudança interna contribua para lidar melhor com as penosas consequências colhidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here